POESÍA a rodos Textos em prosa em português (literários e não literarios) Vídeos com histórias

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O cercado (Ana Paula Tavares)




O CERCADO

De que cor era o meu cinto de missangas, mãe feito pelas tuas mãos e fios do teu cabelo cortado na lua cheia guardado do cacimbo no cesto trançado das coisas da avó Onde está a panela do provérbio, mãe a das três pernas e asa partida que me deste antes das chuvas grandes no dia do noivado De que cor era a minha voz, mãe quando anunciava a manhã junto à cascata e descia devagarinho pelos dias Onde está o tempo prometido p'ra viver, mãe se tudo se guarda e recolhe no tempo da espera p'ra lá do cercado (Dizes-me coisas amargas como os frutos)

Ana Paula Tavares

(Fonte)


Ana Paula Tavares (Lubango, 1952), é uma poeta angolana.


NB. As mulheres são poetisas ou poetas? Ver aqui no Ciberdúvidas. Fica claro que palavra preferimos em Um reino maravilhoso.