POESÍA a rodos Textos em prosa em português (literários e não literarios) Vídeos com histórias

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Exame de Filosofia vai ser reposto no ensino secundário



A disciplina de Filosofia deverá voltar a integrar, já no próximo ano lectivo, o lote de exames obrigatórios para a conclusão do ensino secundário. Esta foi a garantia que o Ministério da Educação deu à Sociedade Portuguesa de Filosofia, indicou ao PÚBLICO o seu presidente, Ricardo Santos.


O último exame de Filosofia realizou-se em 2007. O fim desta prova, realizada no 11.º ano, fora decidido dois anos antes pelo Ministério da Educação. A disciplina de Filosofia deixou também de ser obrigatória no 12.º ano dos cursos científico-humanísticos, geralmente escolhidos pelos estudantes que querem prosseguir estudos. Deste modo deixou também de figurar entre as provas de acesso pedidas pelas instituições do ensino superior.

Estas medidas foram contestadas pela sociedade portuguesa e pela associação de professores de Filosofia e também por vários responsáveis do ensino superior, que alertaram para o perigo de uma morte a prazo da disciplina. O Ministério da Educação não forneceu números sobre a evolução do número de inscritos em Filosofia no 12.º ano. Ricardo Santos assegura que a disciplina deixou praticamente de existir neste ano de escolaridade. No 10.º e 11.º continua a ser obrigatória, mas, segundo o presidente da SPF, as medidas adoptadas contagiam também estes anos: "Registou-se uma desvalorização da disciplina. Os alunos deixaram de investir tanto nela e há uma maior desmotivação dos docentes".

O Ministério da Educação - que não respondeu às questões do PÚBLICO - terá optado agora por arrepiar caminho. Tanto Ricardo Santos, como Alexandre Franco de Sá, presidente da Associação de Professores de Filosofia, asseguram que o primeiro passo será dado já em Fevereiro próximo, com a realização, no 10.º ano, de um teste intermédio de Filosofia. A informação sobre a estrutura e conteúdos da prova já foi enviada para as escolas. Estes testes funcionam como ensaio para os exames nacionais, tendo vindo a ser realizados, nos últimos anos, nas disciplinas sujeitas a estas provas. E são facultativos. Segundo Ricardo Santos, pelo menos um terço das 600 escolas secundárias inscreveu-se para realizar o teste de Filosofia.

Ricardo Santos está convicto de que a reafirmação da importância da disciplina será bem acolhida pelos estudantes e que não será difícil cativá-los: "O ensino antes era muito centrado na história da Filosofia. Hoje esta já não tem tanto peso e o ensino é mais focado em problemas que os jovens sentem e que os perturbam e a Filosofia dá-lhes respostas diferentes para estes problemas". Defende, no entanto, que o programa em vigor "está muito ultrapassado, não sendo, por isso, adequado".


Uma notícia do jornal Público (11-Novembro-2010)